Blog da Qualidade Eficaz

Como dizer não

A maioria das pessoas tem uma dificuldade imensa de dizer não. Talvez devido ao “NÃO” estar associado com impacto negativo ou pelo fato do indivíduo não querer “ofender” o colega pelo “NÃO” dito.

O problema que quando a palavra “NÃO” não é dita, vem as consequências que comprometem suas atividades e potencialmente aumentam suas tarefas para prazos curtos de tempo. Mas o pior mesmo vem depois que a pessoa aceita tudo sem dizer o NÃO e depois precisa sair se desculpando porque não conseguiu fazer tudo a tempo.

Devemos entender que uma pessoa se considera bem recebida, mesmo quando tem o não como resposta, se:

  1. Você ouve o que ela tem a dizer;
  2. Você explica o motivo da resposta negativa;
  3. Você a trata com delicadeza e respeito;
  4. Você a encaminha para a área indicada;
  5. Você justifica o não atendimento e se coloca à disposição para atendê-la em outra ocasião.

 

Claro que entendendo estes motivos, a pessoa irá receber muito bem o seu “NÃO”, mas agora qual a hora certa de dizer. Preparamos as perguntas abaixo para que você faça a si mesmo antes de ter certeza de dizer o “NÃO”.

  1. Quais perturbações e interrupções foram as mais custosas?
  2. Quais telefonemas foram desnecessários?
  3. Quais visitantes foram indispensáveis?
  4. Quais telefonemas poderiam ter sido mais curtos e eficazes?
  5. Quais visitas poderiam ter sido mais curtas e eficazes?
  6. Quem (ou o que) causou a maior parte das interrupções, as mais graves e as mais desnecessárias?

 

Compreenda que existem três tipos de não. São eles:

  1. Não por enquanto – Não posso agora, mas depois posso ajudar;
  2. Não para sempre – Não poderei fazer jamais;
  3. O não para o bom entendedor – Quando explico mostrando as minhas dificuldades de não poder ajudar sem que eu diga o “NÃO”

 

Agora que aprendemos que devemos dizer “NÃO” quando a tarefa ameaça à integridade de minhas outras obrigações, como as pessoas recebem o seu não e a hora certa de dizer o não, iremos aprender quando dizer “NÃO”.

  1. Quando a atividade é estranha ao plano estratégico da empresa;
  2. Quando há outra prioridade mais importante;
  3. Quando o esforço relativo à execução da atividade não compensa o resultado;
  4. Quando a atividade aumenta o custo, sem trazer o benefício correspondente;
  5. Quando a atividade diminui o lucro, sem trazer contrapartida positiva.

Acima de tudo, não, as pessoas não ficaram chateadas com você por ter dito “NÃO”.

 

Conheça mais sobre os serviços da X Assessoria clicando aqui.

 

Não perca as novidades do Blog da Qualidade

ASSINE A NEWS

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *